A origem das joias

A origem das joias acredita-se que desde a pré-história, o ser humano é acostumado com adornos.

No inicio estes adornos ou peças eram feitas de ossos, conchas, pedras, madeiras, e muito outros matérias. Normalmente eram usados com a finalidade de talismã ou simbolo de status e poder de uma sociedade ou classe social.

Porem, não é possível precisar exatamente quando se iniciou o uso de joias pelas civilizações.

Um dos achados mais antigos são conchas com mais de 75.000 anos, elas foram encontradas na África do Sul.

Na Antiga Suméria, 3.000 a.C., as joias eram parte fundamental da alta corte, que se utilizavam de ouro, prata e cornelians, o que é bem interessante, pois já mostrava avanço nas técnicas.

 

Todavia, a grande transformação se deu 4 mil anos depois, no império egípcio, em que o ouro se tornou a principal moeda local.

Curiosidade: Os imperadores eram enterrados com muitas joias, pois acreditava-se que assim eles  chegariam com dinheiro aos céus. 

E o ponto em comum entre as sociedades era a paixão por esse metal dourado, o qual amamos até os dias atuais. A única exceção era a América, em que a jade tinha ainda mais valor do que o ouro.

A origem das joias, então, nos mostra o quão fascinado é o Homem pelos ornamentos, utilizando-os para destacar-se dos demais, transmitindo seu poder hierárquico e financeiro. Até o presente momento, seu valor ainda é bem grande.

As joias na atualidade

Bem mais acessíveis, hoje, todos podem ter adornos em seu corpo das mais variadas rochas. Por exemplo, todo casal compartilha de um anel de ouro, não é mesmo?

Talvez a grande mudança tenha sido na criatividade das joalherias. Se todos podem ter alguma joia, como os mais bem afortunados podem se destacar? Normalmente, pelas edições limitadas.

Quando as grandes marcas lançam joias em apenas 3, 5 ou 10 unidades, por exemplo, ganham maior concorrência por elas, podendo elevar o preço, premiando os sortudos que conseguiram garantir o seu em casa.

Além disso, por conta da grande onda de criminalidade, principalmente, as pessoas têm preferido o minimalismo, utilizando joias mais discretas, porém não tão menos fabulosas.

Por fim, algumas empresas começaram a trabalhar em joias inspiradas no passado, como os utilizados pela civilização romana e grega.

Compartilhe!